Busca

Notícias

Início » Notícias » Seminário celebra início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu
conteúdo principal

Seminário celebra início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu

05/12/2017

Mais de 83% da produção de cacau no Pará está localizada na região do Xingu, sendo os municípios de Medicilândia, Uruará, Placas e Altamira os maiores produtores. Porém, a região ainda concentra seus esforços apenas na produção e exportação das amêndoas do cacau, com pouco estímulo à agregação de valor e à inovação na cadeia produtiva. Para tentar mudar esse cenário, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) organizou a “Semana do empreendedorismo inovador para a cadeia produtiva do cacau”, que ocorre até amanhã, dia 06, na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Altamira (Siralta).

O evento, que reúne estudantes, empresários, agricultores e gestores públicos, celebra o início da implantação da Incubadora de Empresas do Xingu, que será instalada no Campus de Altamira da Universidade Federal do Pará (UFPA). O projeto é uma idealização da Sectet e conta com a parceria do Fundo de Apoio à Cacauicultura do Pará (FUNCACAU), da UFPA e do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX).

“Queremos sensibilizar a sociedade sobre a importância do empreendedorismo inovador e da Incubadora, que tem o objetivo de alavancar ideias inovadoras e contribuir, substancialmente, para impulsionar a cadeia produtiva regional, particularmente a do cacau. A sua implantação vai ao encontro da criação de ambientes regionais de inovação pelo Pará, que é a principal meta do Programa Inova Pará, da Sectet, para estimular a agregação de valor nas cadeias produtivas estratégicas do Estado”, explica a secretária adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez.  

A ideia de uma incubadora é a de estimular a criação e o desenvolvimento de micro e pequenas empresas industriais ou de prestação de serviços por meio da formação complementar do empreendedor em seus aspectos técnicos e gerenciais, além de facilitar e agilizar o processo de inovação tecnológica. A Incubadora do Xingu terá 6 módulos voltados para empresas residentes, que serão selecionadas via chamada pública. Outras empresas não residentes podem usufruir dos espaços compartilhados da Incubadora e ter acesso à capacitação sobre aspectos administrativos, financeiros e jurídicos do mundo empresarial e acesso a laboratórios e bibliotecas.

Programação - O evento iniciou com a apresentação sobre o cenário da cadeia produtiva do cacau na região do Xingu, feita pelo coordenador regional da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Paulo Henrique Fernandes dos Santos. “A indústria cacaueira é uma atividade bastante rentável no estado e possui valores de sustentabilidade muito grande, porém, os produtores ainda estão usando esse apelo a seu favor”, afirma o coordenador.

Um dos participantes do evento, o empresário Hélido Trevisan, de 68 anos, iniciou suas atividades agrícolas aos 18 anos, quando não havia a preocupação com práticas sustentáveis como hoje. “Fiz o reflorestamento do meu sítio para ser bem visto no mercado, que exige esse tipo de iniciativa. Acredito que a implantação da Incubadora fará com que busquemos sempre o melhor para o mercado e para o consumidor, e ela certamente ajudará a sustentar ideias que se perdem pelo caminho pela falta de conhecimento dos empresários”, espera Hélido.

A programação do evento no primeiro dia contou, ainda, com palestras sobre certificação UTZ, sobre as linhas de crédito para agricultores, apresentadas pelo superintendente regional do Banco da Amazônia, Edson Ribeiro, sobre casos de empresas incubadas, além de oficinas sobre empreendedorismo de impacto e processo de formação de startups.

Nesta quarta-feira, 06, a programação continua com uma visita à fábrica da Cacauway e com uma oficina sobre os processos de incubação de empresas. O evento conta com o patrocínio do Sebrae-Pa e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); e com o apoio do PDRSX, do Siralta, da Ceplac, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e da Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec-UFPA). Para conferir a programação completa, clique aqui.

Texto: Igor de Souza – Ascom Sectet