Busca

Notícias

Início » Notícias » Programa Territórios pela Paz leva ciência e tecnologia à Cabanagem
conteúdo principal

Programa Territórios pela Paz leva ciência e tecnologia à Cabanagem

22/07/2019

Nesta segunda-feira, o secretário de estado de Articulação da Cidadania, Ricardo Balestreri e o diretor-presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas – Fapespa, Carlos Maneschy, assinaram Termo de Compromisso para implantação do projeto "Bolsa Escola Pará", voltado ao desenvolvimento de projetos de Ciência, Tecnologia e Inovação nos bairros atendidos pelo programa Territórios pela Paz.A Assinatura aconteceu na escola prof. José Valente Ribeiro, no bairro da Cabanagem, mas o projeto se estenderá a todos os bairros incluídos no programa: além da Cabanagem, Benguí, Guamá, Jurunas, Terra Firme, Icuí, e Nova União, localizados nos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba. Na ação de hoje vários órgãos e secretarias levaram ações de políticas públicas que começarão a ser implementadas na Cabanagem.

 

O projeto Bolsa-Escola Pará visa a inclusão social dos alunos de escolas públicas de ensino fundamental maior e médio, por meio do envolvimento em projetos de inovação tecnológica, aptos a gerar desenvolvimento de produtos que possam contribuir para a melhoria da realidade local, através da transferência de renda e da utilização dos produtos de inovação. Para ingressar no projeto, é preciso, além de estar matriculado na escola, desenvolver um projeto que será orientado por um professor da rede pública dos bairros alcançados pelo programa TerPaz.

Serão 400 bolsas para alunos e 20 bolsas para professores que estarão vinculados no projeto de inovação. Além disso, serão implantados laboratórios de ciência, tecnologia e inovação (CTI) nas escolas públicas localizadas nos Territórios pela Paz. O orçamento destinado ao projeto é de R$ 1,1 (Hum milhão e cem mil reais) para o período de agosto de 2019 a agosto de 2020.

Um novo tempo
Durante a assinatura do termo de compromisso, a diretora da escola José Valente Ribeiro, professora Ivanilda Vieira, falou da satisfação de receber o programa: "Estamos felizes de receber esse programa que vai mudar a vida de cada um de nossos educandos e suas famílias. Passamos muito tempo longe de políticas públicas, isolados, e hoje estamos aqui construindo um novo tempo, uma nova realidade para a nossa Cabanagem".

A presidente da Fundação Pará Paz, Ray Tavares, disse que "não tem como mensurar o incentivo que é para esses alunos da escola esse programa que está sendo implantado aqui. Hoje as drogas e a depressão estão atingindo os jovens e idosos por falta de oportunidades. E isso começa a mudar hoje".

O secretário Ricardo Balestreri, afirmou que o TerPaz veio para ficar. "Não é uma ação que o governo vem, faz e vai embora. É uma ação de caráter permanente que realmente veio para mudar a vida das pessoas". O governo tem que chegar para plantar raízes na comunidade e este projeto da Fapespa tem esse objetivo", disse.

O secretário informou que o terreno onde será construída a Usina da Paz da Cabanagem já foi escolhido e, em breve, deve ser desapropriado pelo governo do Estado. São 10 mil metros quadrados de área onde será construído o prédio para concentrar as ações do TerPaz no território.
O diretor presidente da Fapespa, Carlos Maneschy, disse que "um governo não pode tudo, mas pode muito e podemos alterar indicadores dentro dos Territórios". Além de políticas de segurança, ele ressaltou que é preciso ter políticas públicas de inclusão, pra mudar a vida das pessoas. E aí a política mais eficiente, mais eficaz está dentro da área da educação. E queremos que a Cabanagem seja conhecida como um bairro que promove a realização de pessoas. É isso que a Educação faz". Ele acrescentou que "esse projeto é para o jovem entender como a ciência impacta na vida de cada um. Para estimular a iniciação científica nesses jovens. Descortinar horizontes para conter a violência".

Texto: Marta Brasil (Ascom/Seac)

Fotos: Ascom TerPaz