Busca

Notícias

conteúdo principal

Plataforma EnemPará registra quase 10 mil visitas em apenas 15 dias

20/07/2020

A plataforma EnemPará, lançada no último dia 29 de junho, registrou cerca de 10 mil visitas até a sexta-feira (17), feitas principalmente na Região Metropolitana de Belém (RMB), por celular. São 5.468 estudantes cadastrados, com 1.458 realizando as atividades constantemente, assistindo às videoaulas, fazendo os exercícios e participando de simulados. O Programa EnemPará é desenvolvido pelo governo estadual, por meio das secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet) e de Educação (Seduc), com o objetivo de proporcionar aos estudantes da rede pública meios de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“O número de inscritos e usuários ativos vai aumentando, ao mesmo tempo em que a divulgação vai sendo feita entre os próprios estudantes, além dos canais utilizados por nós”, informou Yuri Santiago, coordenador do programa, que disponibiliza mais de 1.000 aulas gravadas em vídeo por 15 professores, especialistas nas disciplinas cobradas no exame.

Os alunos cadastrados na plataforma também têm acesso ao material de apoio para download, exercícios, testes, simulados e aulas ao vivo diariamente. Ao realizar os testes e simulados, os alunos recebem a pontuação e comentários sobre o seu desempenho e formas de melhorar nas disciplinas em que o rendimento não estiver bom.

Nesta primeira quinzena de funcionamento da plataforma, as quase 10 mil visitas com duração média de 11 minutos cada, foram feitas de 3.900 dispositivos diferentes. Dos acessos às videoaulas, 66% foram feitos por meio de celulares. A maioria dos estudantes ativos, cerca de 40%, é da Região Metropolitana de Belém. O acesso é feito das 8 às 20 h, com uma média de 150 alunos por hora na plataforma.

“Essa é uma dinâmica nova para os alunos. Faz parte da rotina dos jovens usar a internet para o entretenimento. Usar os recursos on-line para estudar ainda é uma rotina a ser consolidada”, ressaltou o coordenador, acrescentando que a plataforma está preparada para atender até 30 mil usuários ativos.

Yuri Santiago citou, como incentivo aos alunos de municípios fora da RMB, a iniciativa da Prefeitura de Canaã dos Carajás, no sudeste paraense, que está disponibilizando quatro locais de acesso à plataforma aos estudantes do 3º ano do ensino médio. “É uma iniciativa que pode ser seguida por outros municípios, onde há dificuldade de acesso à internet. Agradecemos e parabenizamos a iniciativa da Secretaria de Educação de Canaã dos Carajás”, reiterou.

Além das videoaulas, a plataforma disponibiliza aulas ao vivo transmitidas pelos professores da Seduc pelo Youtube. Nas primeiras duas semanas, mais de 6 mil visualizações já foram registradas nos vídeos, com a interatividade de alunos de todas as regiões.

Aprovação - Laise Ribeiro, 40 anos, mora em Ananindeua, na Região Metropolitana. Aluna de escola pública, ela quer uma vaga na universidade e encontrou no EnemPará uma forma de alcançar o ensino superior. “Antes do EnemPará eu estudava apenas em casa. Agora passei a acompanhar as aulas, que são ótimas, e o acesso à internet ajuda muito a pesquisar os temas abordados pelo professor”, afirmou.

Quem também não perde as aulas do EnemPará é a estudante Verônica Delgado, de Óbidos, no oeste paraense. Aluna da Escola Estadual São José, ela quer cursar Medicina no polo da Universidade do Estado do Pará (Uepa), em Santarém. "As aulas são muito boas. Eles explicam muito bem. Os professores até interagem com os alunos ao vivo, tiram dúvidas etc. Os assuntos que eles estão exibindo são importantes, que caem mesmo no Enem. Gostei bastante", garantiu Verônica.

Em Marabá, na região sudeste, a estudante do 3º ano Rayane Lopes, 16 anos, disse que desde a suspensão das aulas presenciais começou a acompanhar o Programa Todos em Casa pela Educação, e mais recentemente o EnemPará. "Estou gostando bastante das aulas porque estão me ajudando muito nesse momento difícil, que eu e todos os estudantes, principalmente os de escola pública, estamos passando nessa pandemia. Com as lives podemos ter acesso ao conteúdo que cai no Enem e, assim, nos preparar melhor para a prova, que já está bem aí", lembrou Rayane.

Serviço: Estudantes da rede pública de ensino podem fazer o cadastro AQUI para ter acesso a todas as atividades de preparação para o Enem.

Texto: Jeniffer Galvão (Ascom/Sectet) - Com informações de Caio Condurú (Ascom/Seduc)

Fotos: Divulgação