Busca

Notícias

Início » Notícias » Encontro aborda qualificação profissional nas regiões Guajará, Guamá e Tocantins
conteúdo principal

Encontro aborda qualificação profissional nas regiões Guajará, Guamá e Tocantins

27/06/2018

A última rodada do “I Encontro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica” ocorreu em Belém, nesta terça-feira (26), e reuniu representantes de instituições públicas e privadas, entidades de classe, associações, professores e estudantes. O evento aborda a qualificação profissional nas regiões de integração Guajará, Guamá e Tocantins.

O titular da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Mello, explicou a importância do encontro. “Na medida em que as parcerias crescem e a credibilidade se torna uma cultura de relacionamento entre os diversos atores sociais envolvidos no processo, o Pará Profissional passa a ser um patrimônio da sociedade, assim se constitui um programa de Estado e todos os governos que se sucederem terão que desenvolver o Programa”.

Desde o final de abril, a Sectet realizou nove edições do Encontro para discutir de forma articulada, conjunta e regionalizada a execução do Programa Pará Profissional, em cada uma das 12 regiões de integração paraenses, como experiência de política pública para o desenvolvimento inter-regional, inclusão produtiva e oportunidades de trabalho.

Nesta nona rodada, ao exemplo das demais, o público conheceu um pouco mais sobre o Programa (conceito, linha do tempo e resultados) por meio das exposições do secretário Alex Fiúza de Mello e do diretor de educação profissional e tecnológica da Sectet, Luís Blasques.

Nesse sentido, a equipe da Secretaria possui avaliações positivas no avanço e desenvolvimento do Pará Profissional, tanto no número de pessoas qualificadas, como na forma como as certificações dialogaram com o mercado de trabalho de cada região, contribuindo para melhorar o acesso ao emprego e renda. No total, o Programa já ofertou cinco mil vagas, em 50 municípios, de todas as 12 regiões de integração do estado.

A primeira parte do evento ainda contou com a apresentação do titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Eduardo Leão, sobre o desenvolvimento econômico das regiões Guajará, Guamá e Tocantins. Já o economista do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Roberto Sena, e o titular da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Everson Costa, destacaram os indicadores de empregabilidade no estado.

Para Sena, a qualificação e a educação profissional por si só não geram emprego, mas são fortes instrumentos para a geração de desenvolvimento e melhoria da qualidade de vida da população paraense. “O que nós precisamos é criar oportunidades para serem aproveitadas pelas pessoas que vivem no Pará, pois se não dermos qualificação para quem está no estado, as oportunidades serão aproveitadas por quem vem de fora”, ressaltou.

Ainda durante a manhã, a coordenadora do Fórum Paraense de Aprendizagem Profissional (Fopap), Deise Mácola, mostrou os dados da aprendizagem profissional como formação de valores para o mercado de trabalho das regiões em questão. Na oportunidade, houve também a assinatura de um convênio para a realização de cursos do Pará Profissional no município de Marabá, representado pelo Secretário Municipal de Mineração, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, Ricardo Pugliesi.

Certificação

Na primeira parte do Encontro, ocorreu ainda a cerimônia de certificação dos 23 concluintes da primeira turma de “Guia de Turismo Religioso em Manifestações Católicas”, realizada por meio da contratação de instrutor bolsista, conforme possibilita a lei do Pará Profissional. Além disso, mais 15 alunos da segunda turma de “Confeiteiro” também receberam os certificados e ofereceram um lanche aos presentes, já demonstrando o que aprenderam durante o curso que teve o Senac como executor.

Para um dos concluintes da turma de confeiteiro, Cleyton dos Santos, o curso abre novas oportunidades na área. “A gastronomia é um ramo muito vasto, então é um caminho a mais que posso seguir. Esse é um retorno que o Estado tenta dar para a população, a qual precisa abraçar de fato essas oportunidades, é muito bom para quem realmente deseja ter uma qualificação e buscar conhecimento”, recomenda Cleyton.

A segunda parte da dinâmica do Encontro, durante a tarde, foi dividir o público em grupos, os quais avaliaram, pela metodologia conhecida como Análise Swot, as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças para o avanço da qualificação profissional e geração de emprego e renda nas três regiões em questão. O resultado da dinâmica ajudará a criar um plano de ação integrado e mais eficaz à execução do Programa.

Outras regiões

As demais edições do Encontro ocorreram no dia 24 de abril, na região Lago de Tucuruí, no município de Tucuruí; no dia 26 de abril, na região Rio Capim, sendo Ulianópolis a sede; no dia 3 de maio, foi a vez da região Rio Caeté, em Bragança; no dia 15 de maio, foi na região de Carajás, no município de Canaã dos Carajás; em 17 de maio na região do Araguaia, sendo Xinguara a sede; no dia 8 de junho, ocorreu o Encontro referente às regiões Baixo Amazonas e Tapajós, tendo Santarém como sede; no dia 13 de junho, na região do Marajó, em Breves e, no dia 15 de junho, na região Xingu, sendo a sede Brasil Novo.

Programa - O Pará Profissional, instituído pela Lei no 8.427, de 16 de novembro de 2016, é descrito como um dos principais instrumentos de superação das desigualdades inter-regionais, com a finalidade de ofertar educação profissional e tecnológica nas diversas modalidades a fim de consolidar, ampliar e verticalizar as cadeias produtivas aos eixos prioritários de desenvolvimento no Estado.

Durante pouco mais de um ano de existência, o Programa ampliou e flexibilizou a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica em todo o estado, levando em consideração as demandas sociais existentes, as vocações produtivas regionais e a necessidade de se criar maiores oportunidades de emprego e renda.

Texto: Fernanda Graim (Ascom/Sectet)